Entrevistas Mágicas – Carta Mágica 5

carolina

 

A nossa convidada da carta mágica número cinco, chama-se Carolina Gomes e vem dar-nos a conhecer o sistema de medicina mais antigo do mundo, a medicina Ayurveda.

 

Curiosos? Então “mergulhem” neste maravilhoso texto e inspirem-se nesta tradição milenar!

 

 

– Fala-nos um pouco de ti e do teu percurso profissional.

Posso dizer que, entre outras características, sou uma pessoa curiosa e persistente no que realmente me faz sentido. Vivi nas Caldas da Rainha até começar a vida profissional, altura em que me mudei para Lisboa. Sair da minha zona de conforto e conhecer novas realidades, foi o meu despertar. Nunca soube dizer o que gostava de fazer profissionalmente, psicologia era o que supostamente fazia vibrar algo em mim, mas sempre com dúvidas se o caminho era por aí. Acabei por me formar em Turismo, curso que não me realizava, mas que supostamente tinha bastante saída profissional. Trabalhei 6 anos em diferentes áreas, onde anualmente me despedia por não me sentir preenchida (entra aqui a minha teimosia e falta de resignação por uma vida que se resuma a trabalhar para viver e viver para trabalhar). Facilmente entrei em frustração por falta de realização, o que levou a estagnação, falta de motivação, ausência de clareza para perceber o passo seguinte. Em 2019 o Ayurveda entrou na minha vida, ajudou-me a reequilibrar e deu-me respostas que não tinha conseguido encontrar noutras áreas. Foi tão maravilhoso ver as mudanças, que quis saber mais para perceber o trabalho que estava a fazer comigo e poder também ajudar os outros a serem mais saudáveis e felizes. Comecei então a formar-me como Terapeuta de Medicina Ayurveda, na clínica e escola AkiSintaSaúde, onde estou a terminar o 2º de 3 anos de curso. Faço estágio reconhecido pela Associação Portuguesa de Medicina Ayurveda – AMAYUR, e neste momento já estou qualificada a fazer massagens e alguns tratamentos.

 

-A Medicina Ayurveda é considerada o sistema medicinal mais antigo do mundo, podes falar-nos um pouco deste sistema milenar?

Ayur – vida, saúde;

Veda – ciência, sabedoria. 

Ayurveda é a ciência da vida. É a mãe das medicinas. Surgiu há cerca de 6 mil anos (escavações arqueológicas provam a existência de uma civilização avançada que habitava nas margens do rio Saraswati, Índia). Nesta altura a Índia era considerada a sede de conhecimento do mundo, foram criadas universidades e foram desenvolvidos socorros médicos e de enfermagem para pessoas e animais. Com as invasões muçulmanas foram destruídas universidades e bibliotecas, e com a ocupação inglesa fez-se crer que a medicina Ayurveda era atrasada e supersticiosa sendo substituída pela medicina ocidental. Só em 1947 é que o Ayurveda começa a retomar o seu lugar, desenvolvendo-se projetos de investigação e uniformizando a formação. 

O Ayurveda é um mundo de conhecimento, há sempre algo a acrescentar! Aprendi com o meu professor Joaquim Jorge, e quanto mais aprendo mais percebo, que para quem realmente gosta e se interessa pelo Ayurveda é difícil sintetizar informação, porque conseguimos ver esta medicina aplicada em tudo o que vemos e queremos partilhar isso com toda a gente. 

O Ayurveda é um sistema de saúde natural e holístico, que considera o equilíbrio do corpo, da mente e do espírito. Como referido no livro védico Charak Samhita, saúde existe quando: “Os doshas e fogo digestivo (agni) estão em equilíbrio. Os tecidos (dhatus) em harmonia, as excreções (malas) adequadas. A alma, os sentidos e a mente em harmonia e saúde”. Definição mais ampla que pela OMS.

 

-Pelo que sei, esta medicina parte do princípio de que tudo o que existe é constituído por cinco elementos: éter, ar, fogo, água e terra. Uma visão holística que vê, não só, o ser humano como um todo, fala-nos um pouco mais sobre este conceito.

O Ayurveda vê o ser humano como um todo, tudo está ligado. O micro (ser humano) e o macrocosmos (universo) estão interligados, em que os princípios de um estão presentes no outro. Os 5 grandes elementos (Mahabhutas) são a matéria original que forma o mundo físico. É a junção destes elementos que dá origem aos doshas: vata que é constituído por éter e ar, pitta que é constituído por fogo e água, e kapha que é constituído por água e terra. Os doshas estão presentes em tudo. Na nossa constituição (Prakriti), no nosso desequilíbrio (Vikriti), nos diferentes órgãos, no ciclo anual (Rotucharya), no ciclo diário (Dinacharya)… 

Dando um exemplo: entrámos agora no verão (estação pitta), uma pessoa que tenha predominantemente pitta na sua constituição (todos somos constituídos pelos 3 doshas) e que vá fazer uma corrida à hora de almoço (altura pitta do dia) vai ficar agravada neste dosha. Um dos atributos de Pitta é quente, uma pessoa que já tenha tendência para esse atributo, que corre na altura do ano mais quente, na fase do dia mais quente e que, por exemplo almoça comida picante, facilmente entra em desequilíbrio, pois há uma junção do mesmo atributo que leva ao seu agravamento. Semelhante aumenta semelhante. A mesma situação já não seria tão grave para uma pessoa kapha que apresenta atributos contrários.

Quando fazemos o diagnóstico a uma pessoa, analisamos a sua constituição física e mental, e os seus desequilíbrios, de forma a percebemos onde temos que atuar para que a pessoa volte à sua constituição original e não desenvolva doenças. Adaptamos a alimentação, exercício físico, fitoterapia se necessário. Aqui aplicamos oposto cura oposto.

 

-Sendo esta uma prática oriental, como é que nós, ocidentais, podemos integrar os seus benefícios no nosso dia a dia?

O Ayurveda pode ser implementado em qualquer parte do mundo, é uma forma de estar e de ver a vida. É uma filosofia, tal como o yoga. Sabendo as bases conseguimos adaptar aos diferentes climas, aos diferentes alimentos que cada localidade dispõe, a plantas diferentes, mas com características semelhantes. Somos todos diferentes, com necessidades diferentes por isso é importante conhecermo-nos de forma a conseguirmos usufruir de tudo o que a natureza nos oferece de forma benéfica para nós. 

 

-Em 2010, quando conheci a massagem ayurvédica, desenvolvi três óleos de massagem (um para cada um dos doshas) Alfazema e Gerânio, para o dosha Vata, Fresh para o dosha Pitta e Spicy para o dosha Kapha. O processo de auto-massagem com estes óleos (ou outros) poderá contribuir para o equilíbrio dos doshas?

A massagem está muito presente no Ayurveda. É uma das linhas de tratamento tal como a alimentação e fitoterapia. Acaba por ser a forma de tratamento mais conhecida por ser divulgada através dos Spas. Existem vários tipos de massagem, como por exemplo a Abhyanga, Kerala, Shirodhara, cada uma com um propósito. 

A auto-massagem é também muito benéfica porque a podemos fazer diariamente, e ajuda no equilíbrio e bom funcionamento dos tecidos. O nosso corpo é constituído por 7 tecidos (dhatus), em que o primeiro corresponde ao sistema linfático e o último ao sistema reprodutor. Uma nutrição deficiente num tecido, vai comprometer a nutrição dos tecidos seguintes (por exemplo algumas mulheres com problemas no sistema nervoso têm dificuldade em engravidar, pois estando este tecido enfraquecido têm uma capacidade menor de nutrir o tecido seguinte, que corresponde ao sistema reprodutor). Uma boa nutrição dos tecidos potência um bom Ojas, que de uma forma simples podemos equiparar a um bom sistema imunitário. 

A massagem vai estimular o fogo digestivo (agni) de cada tecido (pode parecer estranho, mas com um estudo mais aprofundado percebemos que faz sentido) e consequentemente contribuir para uma boa nutrição e ausência de toxinas (ama).

É também importante adequar o óleo que usamos, consoante a nossa constituição ou desequilíbrio caso exista. Se nos sentimos mais vatas (indecisos, nervosos) o óleo de alfazema vai ajudar-nos a serenar/relaxar. Se nos sentirmos mais pittas (quentes, irritadiços) o óleo fresh vai ajudar-nos a arrefecer. Se nos sentirmos mais kaphas (pesados, frios) o óleo spicy vai arrebitar-nos. 

É também importante não esquecermos que sendo a pele o nosso maior órgão, vai absorver e digerir o que colocamos nela, devemos sempre optar por produtos o mais naturais possível. 

 

 -A nossa última convidada, falou-nos na importância do toque, e de como através dele poderíamos mudar o mundo. Na tua opinião, até que ponto a ausência de contacto, a que remeteu a situação atual de pandemia, poderá levar a desequilíbrios no corpo e mente?

Estar sozinho e refletir sobre os acontecimentos de vida é fundamental. Parar para pensar sobre os nossos objetivos, ambições, o que queremos mudar, é algo que muitas vezes nos falta por andarmos numa vida bastante agitada. Neste sentido, talvez a pandemia nos tenha obrigado a isso, a olhar para dentro e questionar. Contudo somos seres sociais, precisamos de conviver e partilhar. Viver num ambiente de ansiedade e medo, em que estamos privados de estar com família e amigos, agrava especialmente o nosso dosha vata. Isto pode levar a diversas fragilidades, tais como cansaço, desidratação, debilidade física, depressão, entre outras.

 

-Que conselho, dicas, gostarias de nos deixar, para um estilo de vida mais saudável?

Vou deixar algumas dicas que deviam fazer parte da nossa rotina diária, dinacharya

  • Acordar com o nascer do sol;
  • Espreguiçar, dar informação ao corpo que vai iniciar o dia;
  • Lavar os dentes para que se elimine as bactérias formadas durante a noite e não passem para o estômago;
  • Fazer lavagem nasal, utilizamos o neti pot;
  • Beber um copo de água morna, para que o intestino comece a trabalhar;
  • Fazer saudações ao sol, pranayamas, meditação (o tempo que for possível);
  • Fazer oleação do corpo com auto-massagem simples e tomar banho de água quente para fazer sudação;
  • Tomar o pequeno almoço;
  • Reduzir o consumo de carne e lacticínios;
  • Implementar ghee (manteiga clarificada) na alimentação, ajuda na lubrificação interna e digestão;
  • Não comer sem fome, é importante termos um bom fogo digestivo para que os alimentos não se transformem em toxinas;
  • Deitar idealmente até às 22h.

 

Depois de todos estes conselhos para nos mantermos mais saudáveis, só vos posso dizer que a “cereja no topo do bolo” é mesmo experimentarem uma massagem ayurvédica!

 

Podem contactar a Carolina através da sua página no instagram ou por email:

 

Email:  veda.kosha@gmail.com

Instagram: @kosha.veda

 

Até breve,

 

Sandra Martins

CEO e Fundadora da Poção Magica

Sem Comentários

Comente

Newsletter"Carta Mágica"

Subscreva a nossa newsletter mensal para ficar a par das novidades, conteúdos e ofertas exclusivas!